Dufour

Capital do Reino de Dracônia

Demografia

Populosa capital de Dracônia, é o grande centro do reino e conta com uma população de 10.000 pessoas aproximadamente. É porém uma ocupação relativamente recente, que só veio a se consolidar com o fim dos dragões da região e com as guerras com os Orcs, cujo número foi reduzido drasticamente.

Geografia

Dufour encontra-se na Planície de Liléia, próxima à Baía do Farol, a oeste, mas sem porto; o litoral é rochoso e nele encontramos apenas algumas pequenas vilas de pescadores, visto que é difícil construir algo ali. Há também comunidades de pesca ribeirinhas nas marges do frondoso Rio Lacoste, a leste, mas a insegurança é grande e poucos têm coragem de se manter em assentamentos que constantemente são atacados por Orcs e outras criaturas selvagens.

A norte encontra-se a Floresta de Zomark, a Cordilheira da Espinha e os Montes das Escamas.

Produção e Economia

Dufour vive basicamente do que produz nas plantações em suas cercanias e no que as demais cidades do reino produzem. Há plantações de trigo, arroz, maçã, uva, ervas diversas, nozes de diversos tipos e azeitona, a iguaria mais valiosa de Dracônia. Utiliza-se largamente boi e cavalos como força motriz, visto que são encontrados na região, ainda que selvagens ou de forma geral magros e fracos, não sendo negócio muito interessante a pecuária.

Além disso, as vilas de pescadores nas margens do Rio Lacoste e na Baía do Farol suprem largamente Dufour de pesca e frutos do mar diversos.

Conchas e pérolas são itens valiosos no mercado e frequentemente exportados. O artesanato baseia-se muito em madeira – a floresta é desmatada largamente e afasta-se cada vez mais ao norte, e osso do chifre de gado.

Há mineração mas não é feita em grande volume, visto que as minas na planície são mais raras. Ainda assim encontram-se veios de cobre e ferro na região. A atividade é mais lucrativa na Cordilheira da Espinha, ao norte, mas a distância e os perigos tornam arriscada qualquer empresa para extração. Ainda assim alguns fizerem certa riqueza com apenas uma peneira nas margens do Rio Lacoste apenas peneirando por pedras preciosas.

Algumas raras raças de cavalo selvagem são ótima montaria e uma vez domados por especialistas pode ser vendido a preços altos para companhias de mercenários e milícias.

É o centro do Culto de Liléia. O apoio de seus sacerdotes é essencial para um governo tranquilo por parte do prefeito; o atual, Gattwick, tem excelentes relações com o Culto.

Há paralelamente outros cultos menores de menor vulto na vida diária.

Guildas e Ofícios

A cidade possui guildas dos principais ofícios, inclusive a influente Guilda de Ladrões de Dufour, e uma tradicional escola de magia chamada Lux ex Tenebris, influente inclusive na política local.

Administração

Ordeira, Dufour é administrada pelo Prefeito Gattwick, um ordeiro e competente funcionário do Rei de Dracônia. Porém seus cuidados atingem basicamente os burgueses, dentro de seus dois muros fortificados, além dos sacedotes do Culto de Liléia e principalmente da família real. Fora do burgo a cidade cresce desordenada e sem muita segurança, que fica mais a cargo dos cidadãos.

O chefe da guarda atende pelo nome de Numar e funciona como o xerife da cidade, comandando não apenas a defesa territorial como também polícia da população, mesmo que faça vista grossa constantemente para o que ocorre fora dos muros de Dufour.

Locais de interesse

O Pônei Dourado Esta é uma taverna tranquila e bem frequentada na parte de fora do burgo.

A Pirâmide Negra É a maior e mais caótica taverna de Dufour.

Templo de Liléia em Dufour Templo à deusa Liléia, discreto dentro dos muros da cidade mas muito atuante na esfera social de Dufour.

Lux ex Tenebris Respeitada e influente escola de magia cuja torre funciona dentro dos muros de Dufour.

Casa de Lair A casa de Lair fica dentro do burgo e está vazia desde que o mago abandonou a cidade.

Dufour

Contos Draconianos balbi