Contos Draconianos

Preparando a defesa de Muriel

Mestre: Pedro
Presentes: Heitor e Fernando

Em Muriel, Grócio, o Senescal decide convocar também a milícia das regiões mais próximas, conseguindo mais 86 homens (BFR 25, poor).

Aron, usando as bolas de cristal ao longo dos cinco dias antes da chegada do navio, consegue localizar Yekaterina, Tomazo e os dois outros prisioneiros do barco numa ilha abandonada. No terceiro dia ele usa vôo e se teleporta para o mar próximo à ilha (evitando os riscos do erro do teleporte). Percebe que Yekaterina e Tomazo estavam sob efeito de feitiços que os impossibilitavam de usar os seus, que ele consegue anular com sucesso, e os solta. Solta também os outros dois prisioneiros, Jorge e Freakers Zulu, que dizem vir de Floriana, uma vila muito pequena ao norte de Titânia, saqueada pelos homens do barco. Quando eles pedem ajuda, Yekaterina diz que eles poderão ter um lugar em Muriel se aceitarem Tromus – faz um sermão para eles, sendo razoavelmente sucedida em convertê-los (Jorge diz ser fazendeiro e Freakers, ferreiro, o que parece útil a Yekaterina).

Eles decidem que o melhor seria enviar Yekaterina logo e Tomazo a teleporta com sucesso; os demais passam a noite lá. Ela chega e ajuda a organizar a defesa da cidade, principalmente seus seguidores. Lá, guiados pelo engenheiro Freyssinet e por Romário, o artilheiro, os homens constroem uma balista e um trebuchet no andar mais alto da torre (o oitavo); mais dois destes, vindos com as tropas de Baudolino, são içados com sucesso.

Na ilha o clima é inclemente, fazendo muito frio, mas todos aguentam bem, exceto Aron, que passa um pouco mal. Ao longo do dia, ele exige que Jorge e Freakers façam um abrigo e encontrem água; após dormirem, Tomazo e Aron teleportam os outros dois para Muriel.

A população de Muriel, junto com a família de Baudolino, foge nos navios destes.

Na noite do quarto dia guardas avistam quatro figuras vestidas de branco, voando na direção do castelo. Questionados, eles afirmam vir negociar; assim, uma comitiva, composta por Yekaterina, Michele Baudolino, Mohammed e Vlandrei, dos Skargerrak, é enviada a seu encontro. Layla, líder dos quatro estrangeiros, fala em nome dos piratas do barco voador e pede um resgate em troca da vida de Laio (mantido refém após ser transformado em ovelha) no valor de meio milhão de mangos. Michele negocia muito bem e consegue descer o valor para 80 mil em dinheiro e jóias mais o que os estrangeiros pudessem carregar em recursos locais – Yekaterina fica satisfeita com este rumo, pois isto os obrigará a trazer o navio para perto, o que permitiria surpreendê-los, tomar Laio e seus itens de volta a força, e se vingar, por isto passa a maior parte da conversa em silêncio intimidador, fazendo barulhos metálicos com seu escudo. Durante esta negociação fica evidente que eles têm uma ideia de quanto dinheiro Muriel possui. Layla não parece muito satisfeita, mas parece aceitar; os quatro voam embora e desaparecem pouco antes de sair da linha do horizonte.

No dia seguinte Aron e Tomazo voltam a Muriel e, reunidos com Yekaterina, Michele e Grócio, planejam o que fazer. Aron teleporta-se para pegar o corpo de Baudolino, mas erra o feitiço e acaba surgindo sob o solo do templo de Liléia em Titânia, morrendo no processo. Tomazo vê isto numa das bolas de cristal e se teleporta com sucesso atrás dele, mas é incapaz de fazer algo para recuperar o corpo neste mesmo dia; enquanto isto, recupera o corpo de Baudolino. Em seguida, vai falar com o sacerdote responsável pela igreja, Jaiminho, sobre o corpo de Aron. Após negociarem, no que Tomazo consegue alguma vantagem ao perceber que o sacerdote prefere sempre evitar a fadiga, fica acertado que o mago poderá contratar alguns homens para cavarem, contanto que eles também pintem a igreja depois; ele também consegue convencer o homem a receber mil mangos para fazer um porão. Tomazo causa muito estranhamento ao propor esta tarefa na oficina de um pedreiro pela efetiva fortuna de mil mangos, mas o chefe deles aceita e, com sua equipe, ao fim da tarde e direcionado pelo nail finger, alcança o corpo de Aron. No dia seguinte, teleporta-se para uma torre que conhece muito bem em Perrutti, onde pretende encontrar alguém que ressuscite os dois corpos resgatados – o que consegue, por oito mil mangos. Em mais dois dias, todos conseguem retornar para Muriel.

No sétimo dia desde o ataque do barco voador (11 de verde) os elfos de Aron chegam a Muriel; a milícia do restante do feudo também chega, totalizando 215 milicianos.

Restam doze dias (do retorno de Aron e Baudolino) para a data combinada para os homens do navio virem pegar o preço do resgate (23 de verde).

Comments

HeitorCoelho

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.