Contos Draconianos

O Tesouro dos Gnolls

Jogadores: Balbi, Pedro e Fernando
Mestre: Heitor

O Ferrugem da Caverna

O grupo vai atrás dos trolls que fugiram mais para dentro da caverna, serpenteando por seus escuros caminhos, até que chega a uma bifurcação. Utilizam um scroll of mapping e assim conhecem de antemão o caminho à frente, que aparece desenhado de forma mágica no pergaminho. Chegam a um grande salão onde Aron repara rapidamente em um vulto e logo todos reparam em criaturas parecidas com tatus, de espessas carapaças, mas com grandes antenas e que andavam pelas paredes de pedra.

Rapidamente tais bichos avançam agressivamente, forçando o grupo a recuar, até que Laio se cansa e avança, enfrentando as criaturas identificadas por Leonel como Rust Monsters, que são atraídos por metais e os fazem enferrujar rapidamente ao contato.

Yekaterina resolve ajudar o guerreiro mas não impede que o ataque de uma das antenas de uma das criaturas acertasse o escudo de Laio, que rapidamente se deteriora. O combate prossegue e com cuidado os heróis conseguem evitar os ataques e exterminar todos os Rust Monsters sem maiores dificuldades.

Bestas ou Homens?

O grupo volta ao salão e passa a examinar paredes e as pedras em busca de passagens escondidas mas nada acha. Invade uma das reentrâncias do local e acaba esbarrando surpreso em criaturas humanóides bem grandes e bem peludas, lembrando ursos, que também se surpreendem com o encontro e, acuados, logo atacam. Segue-se um combate desigual no qual os heróis saem ilesos e as bestas mortas, com seus corpos se transformando em forma humana já estatelados nas pedras, para o espanto de todos, principalmente de Laio.

Os Gigantes de Três Braços

Continuam então a exploração e encontram enormes estalactites e estalagmites concentradas em uma reentrância mais profunda da caverna e prosseguem conhecendo o ambiente até que encontram três gigantes fortíssimos medindo cerca de seis metros de altura e cada um com três braços – o braço extra vindo do meio do peito. Em suas mãos, árvores inteiras usadas de porrete. Aparentemente era sobre eles que os gnolls se referiam e não aos trolls; tais criaturas guardavam um belo tesouro espalhado no chão, próximo a uma fogueira.

Inicialmente há apenas um estranhamento da parte dos gigantes e alguns grunhidos em uma língua desconhecida são emitidos. Sem comunicação possível, ambos os grupos se irritam e um combate se inicia.

Os gigantes são fortíssimos e logo na primeira troca de golpes, Laio cai no chão inconsciente. Baudolino, alvo secundário dos monstros, também é acertado e sofre danos consideráveis, mal conseguindo se sustentar de pé.

O grupo então se vê obrigado a recuar, fugindo pelas passagens mais estreitas que encontraram pelas quais os gigantes não passariam facilmente. Aproveitando a dificuldade dos monstros, Leonel se vale da vantagem que conseguiu à frente, mira suas magias e transforma um dos inimigos em rato e tomba outro com efeitos de extremo frio e depois fogo, restando um terceiro já debilitado mas bastante furioso, grunhindo de forma ameaçadora enquanto supera um obstáculo de pedra, partindo em direção aos heróis.

Yekaterina percebe o momento frágil do monstro e corre para cima dele, desferindo um golpe de maça fulminante em sua têmpora, enquanto se recompunha ainda agachado.

Um Corpo e um Tesouro de 350.000 Mangos

Todos voltam então em socorro a Laio, para constatar que já fora abraçado pela morte. De consolo, examinam o tesouro guardado pelos gigantes e encontram 5 lindos medalhões avaliados por Leonel em 20.000 mangos cada, 5 raríssimas gemas de um mineral chamado Corundum, que é a substância da qual se formam esmeraldas e rubis, mas que no caso se encontra em forma de Tristal, cada um avaliado no valor de 50.000 mangos. Recolhem tudo e levam o corpo abatido para fora da caverna, às pressas e com cuidado para não encontrarem mais monstros.

A Comoção dos Jawara

Saindo da caverna, encontram um gnoll à espera, entediado. O grupo tenta novamente a comunicação gestual mas Aaron percebe que sabe se comunicar, ainda que de forma precária, na língua utilizada por aquelas criaturas, pois era utilizada como tatibitati recreativo por sua família quando era criança em Gardack.

O gnoll, que começara balbuciando algum ceticismo pelo sucesso do grupo, sem acreditar no que seus olhos viam, passou a falar mais e mais alto até gritar com alegria “Mataram os Gigante! Chama o chefe, chama o chefe!”

Eis que começam a aparecer muitos e muitos outros gnolls que estavam perto da caverna à espera de algum resultado. O shaman, líder da tribo Jawara, agradece efusivamente o grupo e o parabeniza pelo feito. Logo se inicia uma conversa a respeito do tesouro que encontraram.

Inicialmente Aaron nega que tenham recuperado as riquezas mas isto logo gera desconfiança na tribo. Yekaterina então, em tom ameaçador, esbraveja dizendo que o tesouro é uma paga justa à perigosa tarefa que empreenderam, durante a qual perderam um amigo, e que os Jawara não precisariam mais temer aqueles gigantes. O líder, ainda sob efeito do Charm de Leonel, então aceita abrir mão do tesouro, ainda que boa parte dos demais gnolls tenham ficado claramente decepcionados e alguns até enfurecidos com a decisão.

Liléia intervém por Laio

O grupo decide então se dividir. Utilizando o tapete voador e com muita pressa, Yekaterina e Baudolino voam sem maiores problemas até o Templo de Liléia em Dufour e no início da manhã encontram Celina, que os pede sem muita paciência que esperem o término de sua missa.

Ao fim de seu culto matutino, dirige-se ao grupo bastante mal humorada e sem vontade de cooperação. Baudolino percebe que a sacerdotisa está bastante contrariada com a postura de Laio de ter abandonado a cidade depois da derrota na batalha para se juntar a seus amigos, que não seguem Liléia, para fundar um povoado nos Montes das Escamas. As notícias correm rápido.

O guerreiro de Perrutti percebe durante a conversa, porém, que a mágoa de Celina era no fundo com Rei Draco, que não se mexera muito nos preparativos da guerra da qual saíram perdedores. Ambos concordam que a covardia do monarca foi marcante e que uma preparação mais empolgada poderia ter mudado os rumos daquela história e Baudolino aproveita para construir a imagem de Laio como fiel à coroa mas também decepcionado com suas atitudes.

Celina recompõe então seus humores e aceita realizar o ritual que traria de volta o herói da armadura alada à vida.

A Cordilheira da Espinha

Enquanto isso, o restante do grupo sobe em paz os difíceis caminhos do sopé da Cordilheira da Espinha sem maiores problemas, conseguindo apreciar a grandiosidade daquelas pedras e assim dois dias se passam.

XP da sessão: 71.940 para cada jogador presente (ainda sem os bônus)

Comments

HeitorCoelho

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.