Contos Draconianos

A Maldição de Mal'gazon

mestre: Leote
jogadores: Balbi, Fernando, Heitor e Tiquinho

Calculando os ganhos e perdas

O grupo foge batante abatido com o tesouro de Mal’Gazon, contabiliza e divide seus ganhos e trata os feridos, com o corpo de Baudolino resgatado.

A agonia de Judith

Logo antes do pernoite, Judith passa muito mal, se contorcendo estranhamente, com sua pele absurdamente tensionada. Logo começa uma erupção de raízes de seu corpo, que começam a esticar e crescer.

Yekaterina faz um feitiço de remove curse sobre a bruxa e as raízes secam e caem prontamente, para o alívio de todos. O grupo começa a se reorganizar conforme a chuva, antes garoa, passa a engrossar e apertar, e com sorte alguns percebem duas árvores grandes e secas, de cascas rompidas de onde escorria um denso e escuro visco, começarem a caminhar ameaçadora, ainda que lentamente, em direção ao local onde estão.

Todos se apressam e resolvem desfazer o acampamento e fugir dali, até encontrarem o pássaro roca amigado por Aziz voando em ronda, que desce para o resgate no meio da cordilheira.

Mudança de Planos

O grupo resolve reatar ao pássaro o barco que utilizavam como cobertura no acampamento para não precisarem abandonar o tesouro e ganham tempo com uma wall of fire lançada por Aron. Mais árvores se aproximam e jogam muitos frutos que não os acertam, mas que poderiam ferir caso o fizessem. Bloqueadas, porém, não passam de um breve inconveniente até que o roca toma os céus levando os heróis e seus pertences.

Percebendo, porém, que todos os alimentos estavam completa e estranhamente podres, o grupo resolve abandonar os planos de assaltar o lar dos Orcs albinos das montanhas e voltar a Muriel, sendo Baudolino ressucitado por Yekaterina, depois de consultar Tromus em cerimônia na qual o deus abriu mão da alma do guerreiro.

A Maldição de Mal’Gazon

Aos 29 dias de Ruby do ano 302 da Era de Liléia, o grupo chega de volta a Muriel.

Todos se ocupam inicialmente de guardar seus tesouros, checar as instituições da cidade e seu funcionamento.

Baudolino negocia 2 navios por conta de suas dívidas e promete entregá-los em até 4 meses.

Laio percebe as milícias de Baudolino um tanto confusas, sem entender o motivo, mas vê seus homens e as defesas da cidade se reconstuindo.

Yekaterina realiza seguidos cultos de grande expressão, passando confiança ao povo e reforçando a autoridade da Igreja de Tromus.

A população comemora o tesouro conquistado e passa dias a festejar.

O que ocorrem ao longo dos dias, porém, não é nada bom. Muitos doentes começam a aparecer na cidade a ponto de se tornar um mal epidêmico. Alguns, inclusive, começam a apodrecer vivos, exalando odores pútridos e perdendo partes do corpo.

Yekaterina tenta tratamento mas não encontra nem magia que dê jeito; chega a tentar remove curse e consulta Tromus a respeito da natureza do problema, e certifica-se de que é uma maldição maior do que seus poderes lhe permitem lidar.

A situação piora quando toda a comida da cidade começa a apodrecer muito rapidamente.

O povo começa a ficar desesperado e uma turba enfurecida acusa na praça a presença da bruxa Judith na cidade com causadora do mal, exigindo sua cabeça. Laio se pronuncia no altar de Tromus e tenta acalmar a todos, mas sem sucesso. Baudolino e alguns homens organizam preces a fortuna, o que gera ainda mais confusão com Yekaterina e os fanáticos a Tromus.

Temendo o pior, o rei e seu pégaso Aladão pegam Judith e voam para local seguro, a tempo de ver lá de cima vários focos de incêndios na cidade causados pelas revoltas. Em um monte próximo, a bruxa diz que há um druida chamado Eucaliptus que poderia ajudar e que talvez seja a única solução.

Baudolino consegue disbaratar alguns focos da turba utilizando-se de uma poção de human control e Yekaterina termina por acalmar a cidade sacrificando 7 fiéis voluntários em eloquente cerimônia; do último sacrificado, escorre um misterioso sangue negro e viscoso que corroi a estrutura do templo em vez de correr até a pia de sacrifício, como deveria.

Em busca do druida

O grupo sai no dia seguinte em busca do druida na floresta de Zomark, a oeste. No caminho, o grupo é atacado por abelhas selvagens que são rapidamente abatidas.

O druida é facilmente encontrado, com suas longas barbas como raízes de plantas e cabelo esverdeado, em frente a um lago bem frio, dentro de uma quente e úmida caverna de onde brota um vapor com forte aroma – de eucalipto.

Eucaliptus pergunta, com seu agradável hálito herbáceo, quem mandou o grupo; em seguida por que Judith não os acompanhou. Diz que infelizmente a maldição é de grande poder e somente alguns mortos podem retirá-la.

Dá um cristal de âmbar ao grupo, para sinalizar que foram por ele enviados, e os direciona a um espírito da natureza. O grupo segue.

Goozer

Depois de circular bastante dentre os altos e finos troncos das árvores, o grupo encontra um ser translúcido e aparentemente etéreo caminhando a esmo sozinho pela floresta, deixando um rastro de cogumelos por onde passava.

Seu nome é Goozer, um espírito da natureza, que nunca foi vivo, e recebe bem o grupo quando vê o âmbar entregue por Eucaliptus e conversa a respeito da maldição que se abate sobre Muriel. Diz que os condenou foi ter roubado o tesouro dos mortos.

Ao ser perguntado se conseguiria desfazer a maldição, responde com outra pergunta: "O que vocês fariam se eu não os livrasse da maldição? Salvariam Judith, assumindo perante o povo a culpa por ter levado a desgraça junto com o tesouro de Mal’Gazon, ou botariam a culpa toda sobre a bruxa?

Yekaterina toma a palavra e diz que não seria inteligente mentir ao povo sobre tal assunto pois cedo ou tarde a verdade viria à tona.

Já Enéas diz que voltaria, assumiria a cobiça e que não era digno de confiança, mas que se esforçaria para reconquistá-la dali em diante. Goozer olha para o bondoso mago com atenção e o livra da maldição.

O espírito pergunta ao grupo se alguém se sacrificaria para extinguir a maldição. Baudolino se apresenta e diz que sim, mentindo deslavadamente. Goozer, percebendo o embuste, vomita sobre a armadura do guerreiro uma gosma bem verde e pegajosa, aos berrmos de MENTIROSO!!! MENTIROSO!!!, sumindo em seguida.

O grupo acampa em noite tranquila e no dia seguinte a retorna à caverna de Eucaliptus, relatando o encontro e o pouco sucesso na missão de salvar Muriel. O druida recomenda paciência e insistência.

Goozer Novamente

Prontamente os heróis buscam Goozer de novo e desta vez prometem assumir a culpa da maldição perante o povo de Muriel. O espírito concorda mas diz que com seus poderes suspenderá parcialmente o mal sobre a cidade, mas que as atitudes do grupo dali em diante o fariam dar cabo à maldição ou não.

Benefícios do Malefício

Revela, porém, benefícios que traz a maldição: quanto mais forte ela for, mais resistentes ficam os atingidos contra aos poderes de Mal’Gazon e seus monstros.

MECÂNICA PROPOSTA: Jamais acontece life drain; uma eventual falha no dado faz apenas com que a diferença entre o número-alvo e o número lançado sejam contabilizados. Se a contagem chegar a 100, o personagem é corrompido.

O grupo volta para Muriel em seguida.

View
Dead´s gold, living´s greed.
22/10/2013
Mestre: Fernando
Jogadores: Balbi, Bretas, Leote e Pedro

De volta ao acampamento

Yekaterina e Aron chegam ao acampamento onde o grupo havia deixado os Rocas sob a guarda de Tomazo. Lá se encontram com Joshua, que os questiona sobre a missão acordada anteriormente, segundo a qual o grupo deveria eliminar a Bruxa Judith. Também discutem sobre Malgazon estar morto, vivo ou morto-vivo. Yekaterina informa Joshua que Judith fora libertada de uma maldição, que não era mais uma bruxa e que estava com o resto do grupo. Então decidem juntar as coisas e voltar à caverna da ex-bruxa onde o restante do grupo havia sido deixado.

Aleghoulria na caverna

Na caverna, durante a ausência de Yekaterina e Aron, Aziz analisa as possíveis propriedades alquímicas do corpo do beholder abatido. Judith reza tentando se reconciliar com suas raízes druidas enquanto Enéas entediado lê seus pensamentos. Constatando um tédio ainda maior entre estes do que nos próprios, resolve vasculhar a caverna, descobrindo que um painel de vidro dava acesso a uma passagem. Animado chama Baldolino para acompanha-lo na exploração. Não demoram a se deparar com um grupo de Ghouls. Baldolino não tem dificuldade em convencer Enéas a atacar. Baldolino tenta bloquear a passagem dos Ghouls para manter uma única linha de combate enquando Enéas usa burn oil para restringir ainda mais a área de passagem, mas a superioridade numérica dos Ghouls se mostra um problema maior do que a dupla foi capaz de prever e depois de abaterem alguns, os dois sucumbem à paralisia decorrente dos ferimentos causados pelos Ghouls. Aziz que ouvira o barulho da luta chega para ajudar, mas ao ver o grupo de ghouls vindo em sua direção usa um feitiço de teia para lhes bloquear o caminho e poder ataca-los sem se expor despejando ainda o conteúdo de 2 burn oil no chão mais atras para ter uma segunda linha de recuo. Só percebe a presença de Judith quando esta usa um feitiço para curar a paralisia de Baldolino e Enéas ainda a tempo destes se defenderem de 4 Wraiths que aparentemente controlavam os ghouls. 4 ghouls se prendem à teia ao tentar atravessá-la. Os outros retornam para ajudar os Wraiths no combate com Enéas e Baldolino já desparalisados. Enéas usa mais um burn oil para incendiar a teia e os ghouls presos a ela. Baldolino enfrenta os Wraiths enquanto os ghouls que a retornavam atacam Enéas. Ao ver Enéas em grande dificuldade, Judith atravessa a teia em chamas determinada a ajudar atacando e pondo fim a um dos ghouls e atraindo a atenção de outros 2 enquanto Aziz não tão determinado usa um feitiço de shield ainda do outro lado da teia.
Enéas mais uma vez cai paralisado vítima de mais um ferimento de um ghoul enquanto Judith sem muito sucesso tenta combater os outros 2 sem poder contar com ajuda maior de Baldolino que abatera 1 Wraith restando 3 que ainda o cercam. Aziz atravessa a teia e ataca um dos ghouls restantes e tenta defender Judith dos dois que sobram. Juntos vencem os dois outros a tempo de ajudar Baldolino com os dois Wraiths que restaram após Baldolino abater mais um. Juntos os três vencem o combate com os 2 Wraiths restantes. Depois do combate, resolvem sair da caverna e enquanto se preparam para descansar, Judith se mostra impressionada com Aziz, que se divide entre o interesse por ela e a prudêndia de não se aproximar muito de uma mulher com dois ex-maridos mortos-vivos e não muito longe dali.

Reagrupamento

Yekaterina, Aron, Tomazo e Joshua chegam. Judith expressa raiva ao ver Joshua e o culpa por ter sido amaldiçoada, Joshua, com a experiência de toda uma vida e um pouco mais, não discute com Judith. Yekaterina cura Enéas e o grupo estabelece os turnos de vigia excluindo Judith e Joshua. A noite passa sem surpresas e, animados pelos relatos que Judith faz dos tesouros que Malgazon possui na caverna, o grupo resolve se aventurar para busca-los apesar de Judith alertá-los sobre perigosas armadilhas deixadas por Malgazon.

Em busca do ouro

Com um feitiço de true sight Yekaterina guia o grupo revelando passagens secretas e armadilhas. Ao tentar entender o funcionamento de uma das armadilhas Yekateria a ativa causando uma explosão que é contida por Aziz com o poder de seu staff elemental. Uma segunda armadilha detectada pelo feitiço de Yekaterina é evitada sem maiores dificuldades. Já perto do fim da caverna encontram 2 vampiros. Yekaterina usa turn undead mas os vampiros resistem. Um dos vampiro lança um feitiço de confusão enquanto o outro tenta algum feitiço contra Tomazo sem sucesso. Sob o efeito do feitiço de confusão, Yekaterina tenta mais um turn em um dos vampiros desta vez com sucesso, Aron lança um icestorm eliminando o outro enquanto os demais ficam inertes exceto por Aziz que ataca Enéas. Surgem mais 2 vampiros , um usa um feitiço de darkness e o líder dos vampiros se revela lançando um death ray em Tomazo, que resiste ao mesmo. Aziz e Aron lançam dispel magic conseguindo neutralizar os feitiços de confusão e darkness enquanto Enéas usa um fireball atingindo os dois vampiros , Yekaterina consegue afugentar 1 deles e Baldolino ataca e acaba com outro, restando apenas o líder deles. Aziz usa um mirror image bem a tempo de uma das imagens salvá-lo de um death ray, Aron usa um feitiço de haste, Yekaterina tenta mais um turn mas o líder resiste, Baldolino, sob o efeito do haste desfere dois golpes de espada que deixam o líder bem enfraquecido mas antes deste sucumbir aos ataques do restante do grupo ainda consegue matar Baldolino com um último death ray.
Sem mais inimigos, o grupo descobre que o tesouro está atrás de uma parede de pedra. Joshua assume forma etérea atravessando a parede e acionado mais uma armadilha que causa uma enorme explosão, mas Joshua não é afetado e retorna com uma amostra animadora do tesouro que incentiva o grupo a envidar esforços em alcançá-lo. Com Joshua exaurido pelo uso da forma etérea e o grupo receoso de mais armadilhas, Aron convoca um elemental de pedra para derrubar a parede, mas assim que este consegue abrir espaço para passar outra armadilha é ativada gerando mais uma explosão que destrói o elemental. Ainda com receio de mais armadilhas e não querendo pernoitar ali, outro elemental é convocado. Este leva o bag of holding para a sala do tesouro, coloca tudo nela e sai. Enquanto isso o grupo constata que todos os seus pertences perecíveis que não estavam no bag of holding estragaram devido a aproximação que tiveram do lider dos vampiros.

View
O Labirinto Multidimensional

Mestre: Leote
Jogadores: Balbi, Fernando, Tiquinho e Bretas.

Muriel Reorganiza a Casa

Em 1 semana os homens que se dispersaram do combate foram encontrados; 144 fiéis de Yekaterina ao todo voltam para casa; apenas 9 sumiram. Dos que retornaram, a sacordotiza escolhe dois honrados homens, dentre os tantos que se ofereceram em cerimônia ao sacrifício como forma de redimir a derrota perante Tromus. O templo é preparado durante 6 dias.

Enquanto isso, Baudolino pensa sobre empreendimentos que possam lhe trazer lucro para a reconstrução de suas forças e aplaque suas dívidas.

Eneas procura 12 soldados de Muriel para treinar sob seu comando. Faz o recrutamento rapidamente: 3 mulheres e 9 homens que passaram a desempenhar treino físico e disciplinar. Em pouco tempo, usavam pela cidade suas braçadeiras inscritas com o número 56, o preferido de seu líder.

Aziz organizou na cidade todo o espólio da torre de Mal’Gazon e os pesados restos dos golems derrotados.

O Sacrifício a Tromus

O ritual de sacrifício a Tromus ocorre em grande evento do qual toda cidade participa, em cerimônia de forte impacto sobre a população geral, ajudando na reorganização e tranquilização de todos após os conflitos.

Aron e as Armaduras

Aron contrata armeiro para construir armaduras de placas para sua tropa élifca, negociando bom preço pelo lote.

Aziz e o Sangue de Hydra

O mago Aziz utiliza sangue da hidra abatida durante a última viagem a Dufour e prepara 8 poções de regeneração de seu desenho.

(Potion of Regeneration – heals 2d6+2 hp → 1hp/turn)

Yekaterina Organiza Jornada

Analisando a cidade completamente sem recursos financeiros, Yekaterina se reúne com Baudolino, Aron e Tomazo. Discutem o que fazer para fazer a cidade voltar a funcionar. Falam de finanças e Yekaterina defende que em vez de atuarem internamente, precisam voltar a se lançar em aventura para buscar mais tesouros. Sugere que Tomazo pague sua dívida de vida levando o grupo até o lar dos Orcs de Volanir, por quem lutou na batalha contra os Ambegs. O mago se diz honrado em poder retribuir sua salvação dos gigantes. O grupo concorda e chama os dois novos magos da cidade, Aziz e Eneas, a se juntarem ao grupo.

Aziz aceita prontamente, enquanto Eneas concorda em ir, mas não sem antes preparar seus 12 soldados com treinamentos em diversas armas para que cada um achasse sua aptidão. Laio é quem não segue viagem com o grupo, preferindo ficar na cidade para cuidar de seu povo.

A Viagem para a Cordilheira dos Espinhos

Baudolino organiza para a viagem 2 pássaros roca influenciados por magias de Charm Person feitas por Tomazo para irem voando até a Cordilheira da Espinha levando 3 barcos com mantimentos que pudessem transportar o tesouro por mar na volta.

No primeiro dia de viagem, porém, um dos rocas acaba largando um dos barcos que tomba de modo a derrubar em pleno vôo 1/4 das provisões do grupo. Enéas faz um laço e estabiliza o item na pegada do pássaro, permitindo ao grupo seguir.

Cobras no Deserto

Atravessando o deserto, à noite, o grupo resolve pousar para descansar. No turno de Eneas, ele avista cobras ao redor da área ocupada, cerca de 8. Ele joga um burning oil e acerta 4 delas, que se iluminadas revelam ser víboras. Acorda o grupo, em seguida.

Yekaterina recua com medo do veneno e o grupo com magias facilmente mata as cobras.

No dia seguinte partem pela manhã não sem antes Aziz recolher o veneno das víboras; ao todo 4 doses.

Exorcismo de Tromus

No dia seguinte, ainda pela manhã, o grupo sobrevoa a última porção do deserto e percebe ao longe quatro criaturas estranhas, humanódes, andando sem rumo. Descem e percebem que são corpos em putrefação, mortos, ambulantes que partem para cima, sendo exorcizados por Yekaterina que, em nome de Tromus, os faz voltarem ao pó.

Aron rastreia as pegadas e chega até o lar das criaturas: ruínas de um templo ou algo assim; uma estrutura grande abandonada, tomada pelas areias.

O Templo Subterrâneo

O grupo entra e desce pelo templo quase todo submermo no solo, utilizando feitiços de Continual Light para iluminar o ambiente e ativando o nail of pointing, fazendo com que apontasse para moedas de cobre. Seguem pelos corredores e percebem uma grande mudança de temperatura nos corredores, algo estranho, como se todo o ambiente tivesse mudado.

O Tesouro dos Wights

Caminham seguindo até uma sala onde encontram mais 21 daqueles corpos putrefatos ambulante, que partem ao ataque de pronto mas são logo aniquilados, principalmente depois de uma estratégica bola de fogo criada pelo feitiço de Eneas. Pela sala um tesouro avaliado por Aron em 8 mil merrecas, uma corrente valendo 3 mil mangos, um bracelete de 20 mil mangos, um grampo de 2 mil mangos, um broche de 4 mil mangos, um colar de 7.500 e um camafeu de 4 mil mangos.

O Templo Multidimensional

Enquanto guardavam o tesouro, a sala de repente muda. Apenas um caminho sobra; os outros simplesmente deixaram de existir e as passagens se tornaram parede sólida como que por encanto. Seguiram o que restou e foram levados a uma sala com 5 estátuas: 2 de homens, 1 sapo gigante, 1 minotauro e 1 homem lagarto de cabaleira loira.

Aron percebe rastros recentes na sala, provavelmente de atividade do sapo pela sala: seriam golems ou algo assim? As suspeitas se confirmam tão logo as estátuas começam a se mover para atacar o grupo, que revida e logo destrói todas, menos a do homem que não se moveu e aparentemente não tinha vida.

O grupo segue então o corredor que se iniciava do outro lado da sala e chegam a um outro salão, enorme, cheio de lixo e restos de comida podre, bastante abandonado. O grupo acha dali outro caminho até uma saída que os leva a um cenário bem diferente do deserto onde estavam; tão diferente que ninguém consegue pensar onde estariam. Causa estranheza o fato de não ser dia, como era de se esperar. Era uma noite gelada e de muitos ventos, em uma planície.

Enéas tenta localizar os pássaros rocs na bola de cristal e os encontra de dia, o que leva todos à conclusão de que estão em outra dimensão, o que explicaria as diversas mudanças que ocorriam nos corredores do templo, que pendularia entre diversas dimensões.

Voltam assim às ruínas e chegam a uma saleta em descida, mais úmida, com várias poças d’água. Olham para trás e percebem que o caminho atrás mudara e ali estava, no lugar do corredor, uma enorme sala igualmente úmida. Ouviam ainda os fortes ventos do lado de fora.

O grupo continua explorando mais corredores e encontra uma nova saída, agora aparentemente em uma ilha, de manhã. Baudolino analisa o ambiente e diz acreditar ser um sítio bem a oeste, pouco além de Biergotten.

Eneas resolve olhar Tomazo na bola de cristasl e o quando de comida ele consumiu com os pássaros rocas e pode assim mensurar o tempo, constatando que aparentemente passou de forma uniforme.

Todos voltam a passar por algumas salas já vistas, em retorno ao labirinto, e explora alguns locais novos, encontrando no processo uma sala com 40.000 mangos jogados ao chão e 2 gemas – uma ametista avaliada em 800 mangos e um opal de 500 mangos.

Enquanto recolhiam o tesouro, começaram a ouvir a aproximação de criaturas e quase foram surpreendidos por felinos bem grandes, dotados de tentáculos nas costas. Ao todo nove, que sofrem com um ataque de burning oil de Baudolino e com muitas pancadas do grupo, restando apenas 2 que misteriosamente sumiram no ar. Aziz retira o couro 5 das sete criaturas restantes para estudos.

Seguem então por uma sala já visitada e continuam por onde já andaram até voltarem por onde entraram e à saída do deserto, bastante exauridos por explorar os mutantes e enigmáticos corredores do templo subterrâneo.

O grupo parte em viagem, de volta aos mas não sem antes Baudolino fazer anotações e marcar a localização do sítio das ruínas.

View
Catando os Cacos

Mestre: Heitor
Jogadores: Balbi, Fernando, Leote, Pedro e Pedro Bretas

Reunião pós guerra

Laio recebe uma proposta para se tornar conde de Godrixia e discute a idéia com Yekaterina, Baudolino e Aron. O Grupo pondera sobre todas as vantagens e desvantagens da proposta. Yekaterina externa críticas sobre a ineficiência dos soldados de Baldolino no combate. Este argumenta que não houve tempo para o devido preparo dos homens para o combate. Com isso são levantadas questões como as dívidas do grupo, os danos causados pela falta de comprometimento demonstrada por soldados, a necessidade de alianças e recursos para enfrentar os piratas do ar. Baldolino decide ir para Riamonte levantar tropas e Yekaterina à Dufour levantar recursos.

Baldolino vai a Reamonte

Baldolino viaja para Riamonte em um pássaro roca acompanhado de Tomazo para levantar informações sobre tropas disponíveis. Depois de se identificar, solicita a presença de seu pai, o barão local. Passado algum tempo é informado por um empregado de que o barão não pode ser localizado.

Ao partir,o grupo de Baldolino é alvejado por uma saraivada de flechas que não os atingem e revidam com uma fireball, uma icestorm e um borbardeio de pedras dispersando as forças que os atacaram. Sem mais delongas retornam para Muriel e usam um bola de cristal para localizar Humberto Eco sem sucesso.

Ao retornar se junta aos demais membros do grupo que com excessão de Aaron se preparam para partir para Dufour.

Viagem a Dufour

Yekaterina, Baldolino, Eneas, Aziz e Tomazo partem para Dufour em dois Rocas e um tapete mágico. Aproveitam a viagem para tentar encontrar Aladão, que com o uso de uma bola de cristal fora localizado perto de Titânia.

No caminho avistam um navio. Avaliando o pouco armamento que este carrega, consideram seguro se aproximar, o que os permite identificar Sir Waldrup. Os marujos do navio demonstram muito medo dos rocas. Waldrup informa Baldolino que conseguiu expandir seus domínios à terras costeiras e que agora tenta estabelecer novas rotas comerciais.

Sobrevoando as cercanias de Titania avistam Aladão, mas este se assusta com os Rocas que transportam o grupo e foge com determinação suficiente para resistir aos dois feitiços de charm monster lançados por Tomazo, levantando questões se dois rocas seriam suficientes para criar tanta resistência ou se algum trauma anterior mais severo seria responsável por isso. Percebendo a resistência de Aladão ao controle de Tomazo, Eneas lança um feitiço de sono em Aladão que adormecido começa a cair fazendo Aziz interromper suas anotações no diário de bordo para se transformar em um Pterossauro e ir ao encontro do Pégaso para conduzí-lo ao solo em segurança. Assim os três magos vão levar um presente para o Rei.

Evitando os riscos de se carregar um Pégaso amarrado em um Roca que parecia apavorá-lo, o grupo resolve pernoitar no local, para que, descansado, Tomazo pudesse tentar controlar um Aladão mais calmo depois de uma boa noite de sono. Mas uma manada de elefantes desperta o grupo no meio da noite frustrando os planos e forçando uma retirada rápida.

Considerando as possibilidades que levariam ao estouro de uma manada de elefantes no meio da noite e que , o grupo decide que será mais seguro seguir viagem até Dufour.

Em Dufour, depois de descansarem, Yekaterina vai ao banco resgatar suas reservas, Eneas e Baldolino vão à Escola. Eneas atrás de seu passado, descobrindo que teve algum prestígio como aluno e que se formou há dois anos, bem menos tempo do que supunha, ficando um pouco confuso com a informação. Baldolino tenta recrutar aprendizes magos para constituir sua guarda pessoal. Para isso Baldolino diz que vai entregar documentos explicando as condições de trabalho para que os magos interessados possam se inscrever.

Baldolino também aproveita para enviar uma carta à Perrutti para igreja de Fortuna pedindo um sacerdote para um comandar as tropas em seu nome e para que os mercenários que estão para chegar sejam demitidos.

Aziz aproveita o tempo para ir a uma taverna tentar ouvir os rumores locais sobre expectativas quanto à política, economia e guerra. Tenta de uma distância segura um feitiço de charm person no barman. Sem sucesso, volta ao encontro do grupo.

Na manhã seguinte os heróis partem de Dufour avistando viajante solitário que ao ser abordado se apresenta como John Sanders, mago, demonstra conhecer Eneas e embora aparente bem mais idade, alega terem estudado juntos. Relata ter se perdido se seu grupo de aventureiros. Baudolino oferece uma consulta à bola de cristal para que Sanders localize seu grupo. Este aceita e após descobrir o paradeiro de seus companheiros agradece e se despede.

O resto da viagem de retorno à Muriel ocorre sem surpresas.

View
Muriel após a batalha

Mestre: Fernando
Presentes: Heitor, Balbi, Pedro, Thiago, Pedro Bretas

Estamos em 6 de rubi. Laio faz o melhor que pode para organizar os soldados restantes, chamando voluntários para tentar adiantar os trabalhos de reconstrução, conseguindo 5 carpinteiros, mas nenhum pedreiro. Aziz também se voluntaria para ajudar Yekaterina, dizendo-se conhecedor de religião. Ela aceita, chamando também dois elfos indicados por Malandriel, Auxiliel e Apoiel, além de um dos batedores dos bandeiras vermelhas, Lucca.
A alguma distância de Muriel, Enéias, um bruxo vindo de Miséria, cruza com dois recém-fugidos do exército de Baudolino, que dizem para ele não ir para lá, que não é prudente. Tendo ouvido isto, ele sai (literalmente) correndo para lá. Antes de chegar ele pára e usa feitiços de levitação e invisibilidade, pouco depois avistando o grupo de Yekaterina; então cancela o feitiço de invisibilidade e saúda os viajantes. Após saber da condição de Muriel ele se propõe a ajudar no que puder e a se juntar na jornada, informando também que é incapaz de mentir, o que causa muitos risos no grupo (embora seja verdade, devido ao anel amaldiçoado que porta). No caminho Yekaterina conta mais detalhes da situação.
Não muito depois, Aziz consegue encontrar rastros que provavelmente pertencem a um grupo de cerca de 15 homens de Laio ou de Yekaterina. Enéias também relata seu encontro com os guardas, pelo que entendeu, mercenários vikings. Ele, ainda sob efeito do feitiço de levitação, sobe para enxergar mais ao longe, avistando, entre muitas pequenas vilas, apenas uma onde imagina que poderia haver refugiados. Yekaterina a identifica como sendo a vila de Vassily; alguns homens rapidamente a identificam e a recebem bem, dizendo que Mohammed, o chefe da guarda de Laio, tem procurado reunir alguns homens novamente. Ao avistar as tropas em torno da tenda, principalmente os milicianos de Laio, Enéias comenta com Yekaterina que “seus homens estão mal treinados” e que pode fazer melhor; ela, irritada, o reprime.
Yekaterina cura alguns feridos no caminho da tenda; Enéias também pára e usa seus conhecimentos médicos para fazer o mesmo de forma mais lenta. O grupo conversa com Mohammed e Vassily; este relata um pouco do que tem acontecido, inclusive que teve de enforcar alguns dos fugitivos menos disciplinados. Enéias percebe facilmente o grau de treinamento dos soldados presentes, ficando impressionado que as bem treinadas companhias de Fortuna tenham fugido – dando a entender que as tropas que eles enfrentaram eram realmente terríveis. Ele e Aziz indagam sobre os piratas e Yekaterina exagera o número deles, o que ambos percebem.
Vassily propõe continuar ele mesmo a busca, Yekaterina retornando com Mohammed e cerca de trinta homens para Muriel. Aziz diz que acredita que os piratas, com este tipo de dinheiro, acabariam indo para Babos. Yekaterina, no entanto, sem o tapete ou qualquer outro meio de transporte aéreo, não vê como ir atrás deles, e propõe que eles, após voltarem a Muriel, a acompanhem até Dufour, onde ela pode reaver o restante do seu dinheiro, oferecendo 500 Mangos a cada um por isto. Enéias faz uma contraproposta: ele ficaria com parte do exército de Yekaterina para treinar e comandar, a serviço dela, mas pagando por todas as despesas relativas a eles, o que causa muito estranhamento. Yekaterina aceita, embora seguindo desconfiada. Passam a noite, partindo no dia seguinte para Muriel.
No caminho, avistam uma hidra voadora de oito cabeças à distância, que não os percebe. Aziz incentiva que a derrubem e depois cacem seu lar. Enquanto Enéias discute com Yekaterina se devem ou não tentar abatê-la, os besteiros a abatem em duas salvas de flecha. Localizam o lar, num espinhal bizarro, encontrando o ninho, com dois ovos de hidra. Yekaterina oferece-os para Aziz e Enéias (“choquem-nos”). Encontram também dinheiro: 8.000 merrecas, 4.000 pratas e uma espada; Mohammed pede para que os homens fiquem com parte do dinheiro, e Enéias abre mão de toda sua parte. Yekaterina pega a espada, sendo ferida; a espada, inteligente, tenta controlá-la, mas ela resiste, fincando-a no chão. Enéias pega a espada e, ferido, acaba cedendo ao controle, ficando com ela, imediatamente fazendo todos os homens desconfiarem de que isto era sua intenção desde o começo.
A espada se comunica telepaticamente com o portador, dizendo se chamar Xavier. Ela o pergunta se é um guerreiro, e ele responde ser um estrategista. O resto da viagem corre tranquila e, em dois dias, eles chegam em Muriel.
Enéias conversa telepaticamente com Angelo, chefe dos bandeiras douradas, e aprende muito sobre as tropas de bandeiras, bem como porque os douradas e vermelhas não têm bom relacionamento. Conhece também o artilheiro dos bandeiras douradas, Balotelli.
Um dia depois disto, Guy de Dracônia e sua comitiva chegam a Muriel. Recebendo o anúncio, Laio subitamente se lembra de que ninguém foi avisar os refugiados em Miséria de que o ataque se encerrara e eles podiam voltar. Perguntando a Angelo se conhecia alguém que podia fazê-lo este sugere mandar algum dos bandeiras vermelhas, o que Laio aceita.
Laio e Yekaterina se reúnem com Guy e seus conselheiros (os mesmos da última visita, incluindo Lisa). Guy lamenta não ter chegado a tempo, aparentando sinceridade, e traz a proposta de anexar Godrixia a Dracônia, tornando Laio Conde. Yekaterina tenta convencê-los a aceitar esta subordinação, mas isentando Laio de todos os tributos, o que Guy descarta imediatamente. Laio então pede tempo para discutir isto com seus conselheiros, em boa parte porque não acha a coroa e o título de Conde tão “massa” quanto os de Rei.
Aziz e Enéias rodam por Muriel, procurando o que fazer, quando subitamente soa o alerta e todos avistam dois pássaros gigantescos. Aziz faz uma ilusão para atrair os pássaros, pensando que serão uma ameaça. No entanto são Baudolino, Tomazo e Gurian. Após um desentendimento por Enéias tentar ler a mente de Baudolino, apresentam-se todos e seguem até Yekaterina, que ressuscita Aron.

View
Post reservado - Fernando II

Post reservado para aventura anotada por Fernando.

View
A Volta do Royal Airdog

Mestre: Tiquinho
Jogadores: Balbi, Fernando, Heitor.

Muriel se Reorganiza

Yekaterina começa ressucitando Aaron e Girolamo Dalmaso, abatidos nas lutas anteriores. A cidade se reorganiza; Baudolino e o elfo recompõem suas tropas.

Não houve muito tempo. Em uma semana o Royal Airdog voltou e colocou novamente Muriel sob sua sombra.

Muito acima do alcance das defesas da cidade, os piratas iniciam um bombardeio com pedras sobre a fortaleza de Laio.

Muriel monta sua tática

Thomazo utiliza a bola de cristal em busca de Igor, o Sobrevivente, na esperança de vê-lo compondo forças de ajuda em Dufour, mas não; ele está em sua rotina na cidade. Já Guy é visto atravessando um rio em direção a Muriel.

Yekaterina e Baudolino hasteiam uma bandeira branca, indicando tentativa de negociação de cessar fogo. Do navio descem voando 3 emissários em resposta: Joaquim Fester, Leo e Peppo von Nassau. Eles negociam com Baudolino e Yekaterina mas não aceitam a oferta: uma trégua em troca de 100.000 mangos. Leo não acredita que Muriel tenha apenas esta quantidade para entregar, com razão, e acha que o acordo vale mais que isto e nega a paz.

Os Planos

Os heróis voltam a planejar uma ofensiva. A idéia seria polimorfar dinossauros em peixes e teleportá-los para a morte, fazendo com que voltassem, no momento do óbito, à forma original dentro do navio voador, que sofreria graves danos estruturais.

O plano porém falha logo no início, pois Aaron se teleporta com falha para debaixo da areia em algum ponto da ilha perdida, deixando sozinho Baudolino, teleportado por Thomazo.

Na Ilha Abandonada

Andando com certo temor, Baudolino percebe a aproximação de três lagartos gigantes e partiu à ofensiva, abatendo dois logo de cara com golpes certeiros, eliminando o terceiro em seguida.

Monta um acampamento infelizmente engolido pelas ondas em dois tempos, passando assim a noite em claro. No processo é atacado por um dinossauro predador noturno, que também foi rapidamente abatido pela espada do Perrutense.

No dia seguinte Thomazo se teleporta também para a ilha e em posse do nail of pointing consegue junto a Baudolino recuperar o corpo de Aaron, guardado na bag of holding.

Já voando no tapete, avistam um imenso dinossauro e Thomazo o transforma em cágado e o captura.

Continuam a caça e encontram 3 outros daqueles mas a magia falha.

O grupo passa a noite novamente sem acampamento e thomazo não consegue dormir para recuperar seu arsenal mágico.

View

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.