Contos Draconianos

Caça aos dragões verdes

Mestre: Tiquinho
Jogadores: Balbi, Fernando, Heitor

Oito de Rubi, 302 d.L.

Todos os heróis, menos Laio, perdido na Necrópole, encontram-se vivos e com saúde na Catedral de Lileia. Eles conversam com Celina, a Matriarca, que, pouco sabendo, tanto sobre a maldição quanto sobre formas de resgatar Laio, sugere que procurem conselho em Lebon, onde há mais chance de alguém ter informação valiosa. Baudolino pergunta onde em Dufour conseguiria relatórios dos ataques do dragão verde que assola a região, para com eles tentar identificar a área onde provavelmente fica seu lar; Celina o recomenda procurar Lamar, chefe da guarda.

Aron procura a espada de Tratus Ro, portada por Laio, com a bola de cristal, vendo Laio dentro de um caixão, repousando. O aposento onde está parece evidentemente estar na Necrópole. Os heróis tentam pensar em uma forma de entrar lá rapidamente para resgatar Laio, mas as grandes chances de erro de um teleporte os desencorajam. Eles então buscam a ajuda de Vega, na escola de magos.

Vega os recebe amistosamente, mas diz não se lembrar ou não conhecer o nome de Mal’Gazon. Yekaterina o explica a situação e pede algum meio mágico de proteger-se dos efeitos negativos do erro de teleporte. Vega diz que esteve desenvolvendo algo neste sentido, mas com o objetivo de derrotar os dragões que andam rondando a região, e diz que os dará quatro poções de gaseous form, contanto que antes eles derrotem os dragões. Baudolino consegue argumentar e convencê-lo de que isto será muito mais simples com Laio junto a eles, e ele permite que eles tentem resgatá-lo primeiro. Baudolino também pergunta se ele tem notícia de algum jovem mago tinha interesse em fazer parte das forças do condado de Porto, e Vega o diz que cerca de quatro deles mostraram interesse e já estão a caminho.

Neste momento, pela janela, eles avistam um dragão verde atacando a região, a alguns quilômetros de distância. Eles requisitam diversos efeitos mágicos de bruxos da escola, preparam-se e são teleportados para o lugar; chegando, Baudolino, com velocidade quadruplicada e voando, desfere quatro poderosos golpes e abate o dragão assim que chega. Ele abra o dragão para ver o que este comia, encontrando um pouco de tudo (vacas, humanos, árvores e granito). Os camponeses agradecem e os heróis partem, com o Know the Path de Yekaterina; eles chamam o Roca (usando o berrante na ponta do Elemental Staff de Aziz) e procuram o lar do dragão verde. O feitiço os leva para noroeste e, após dois dias, dentro de uma floresta, para uma caverna no sopé de uma montanha. No início deste segundo dia eles avistam outro dragão verde no horizonte; novamente ele é rapidamente alvejado, desta vez pelos esforços combinados de Baudolino, Facundo e Yekaterina. Aziz percebe uma pedra preciosa no dente do dragão, um topázio valendo cerca de 500 mangos. Abrindo-o, encontram conteúdo semelhante ao do primeiro.

No mesmo dia Aziz e Aron encontram um rastro de carroça quase se apagando, com cerca de alguns dias. Esta trilha dá numa caverna, com trilhos retorcidos e arrancados, com um carrinho destroçado do lado de fora, indicando que se trata de um sítio de mineração. Numa segunda montanha, um pouco mais alta, Aziz vê uma cauda; mais uma vez sob efeito de feitiço de haste eles o vencem, desta feita com ataques combinados de Facundo, Baudolino, Yekaterina, Aziz e Eneias. Este dragão não tem nenhuma gema ou item precioso consigo.

Eles seguem pela entrada, onde percebem os rastros de ao menos cinco dragões diferentes pela entrada. Após caminharem por algum tempo pegam uma bifurcação, virando à direita, após a qual os trilhos voltam “ao normal”; daí após um tempo, nova bifurcação, o grupo vira novamente à direita; com nova bifurcação, o grupo segue à esquerda, sob orientação do find the path. Eles descem mais ainda e novamente para de haver trilhos; as cavernas se estreitam, de forma que um dragão do tamanho dos que eles enfrentaram teria muita dificuldade de passar. Eles seguem por mais uma série de bifurcações e, após o caminho se estreitar muito, chegam a um tesouro (ver final da sessão).

Agora já sem a orientação do find the path (direcionado ao tesouro de um dos dragões apenas), eles voltam à bifurcação anterior e pegam outra direção, nada encontrando; depois voltam mais uma bifurcação e pegam outra direção, chegando a um novo trecho maior, com rastros de dragão. Chegam a nova bifurcação, pegando à direita; este caminho os leva a um tipo de grande salão, com três buracos parcialmente abertos (com o que Baudolino deduz que as pedras encontradas nos dragões vêm desta escavação). Aron e Baudolino veem algo brilhando em uma destas entradas e Facundo, escondendo-se nas sombras, vai verificar de que se trata. Descobre que se trata de um dragão pendurado, esperando para emboscá-los; ele retorna e informa os demais da emboscada. Eneias, Aron e Aziz disparam vários feitiços de dano e o abatem antes que ele consiga reagir. Havia aí exatamente o mesmo tesouro achado no outro compartimento.

Quando retornam por outro caminho, são emboscados por um quarto dragão; este também cai fulminado por feitiços de Aziz, Aron e um golpe de Yekaterina; antes de morrer ele ainda consegue usar um feitiço de web, obrigando os heróis a ficarem mais de uma hora presos. Após isto eles pegam outro caminho ainda não tomado, encontrando mais um tesouro em igual quantidade ao anterior. Refazendo os caminhos, encontram ainda outra porção igual do tesouro.

(Tesouro total: 188.000 pratas, 60.000 mangos, 10.000 ep, 24 gemas mais uma especial num total de 125.400 gp e 20 joias num total de 176.500; tesouro no valor de 79.985,71 mangos para cada)

XP da sessão: 576.275 (82.325 para cada)

Comments

HeitorCoelho

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.